DEZEMBRO DE 2016 - BOAS FESTAS -- Que o ano de 2017 nos dê coisas boas.

Ache essas e outras imagens no site ClickGrátis

sábado, 23 de janeiro de 2010

47 - Vila Cabral: Último almoço de convívio e despedida desta cidade.



ALMOÇO DE DESPEDIDA DE VILA CABRAL

-A C.Caç.3468 como a generalidade de todas as companhias de intervenção, esteve presente em vários locais. Depois de Massangulo e Vila Cabral lá fomos nós para Nova Coimbra um verdadeiro local de sofrimento a todos os níveis com privações de tudo ou quase.
-Da nossa passagem por Vila Cabral, temos a grata recordação das grandes amizades que conseguimos a todos os níveis, tanto militares como civis as quais eram verdadeiras e sólidas.
-Depois de sabermos a data da deslocação para Nova Coimbra, logo se organizou um almoço convívio de despedida em pleno quartel, onde conviveram civis e militares dos mais variados ramos, como Hospital, Intendência, P.A.D., B.Caç.20, Engenharia, Força Aérea e...??
-Foi um almoço que ficou nas nossas recordações e que eu com muita pena não tenho qualquer foto.
-Esta foto que aqui trago é sim no restaurante do Senhor Mendes, um civil que era dono da Pensão Miralago que nos ofertou este belo almoço de convívio e despedida para outras paragens.
-Segundo o que escrevi na foto a data foi 03/05/1972 . Os presentes são a partir da esquerda o Furriel Antunes, Furriel Américo, Cap.Barros, Furriel Matos e Furriel Louro. Ao fundo o 1º Inácio (Já falecido); ao seu lado o Alferes Salvador e pela direita está o Sr.Mendes, depois o 1º Bonzinho, Furriel Marques, Furriel Morgado e Furriel  Bacelar.
-Digo que todos estes Amigos enquanto estivémos desterrados em Nova Coimbra nos deram a ajuda possível dentro das suas competências, o que não foi pouco e se agradece.
-Conto aqui uma estória que atesta esta ajuda e que na altura foi tema de conversa e ameaças de punições:
-O meu Amigo Vaguemestre requesitou á intendência de Vila Cabral, 1000 caixas de cerveja para a cantina, (cada caixa continha 24 latas de 0,33cl) pois esta era muito importante para todos nós. O pedido é aceite e a logística era de coluna de Vila Cabral para Meponda, depois ia nas lanchas da Marinha pelo lago do Niassa até Metangula e a C.Caç.3468 por sua vez ia ali carregá-las nas suas viaturas para as transportar para Nova Coimbra. Tudo isto era o normal do nosso reabastecimento duma maneira geral, só que no Batalhão 3850 sediado em Metangula a cerveja faltou durante uns dias e fomos nós que a dispensámos a este pessoal, tendo o comandante feito diligências para penalizar os envolvidos pelo acontecimento, já que eles o batalhão sem cerveja e uma companhia no mato ali chegada há dois dias ter fartura era uma afronta e enxoválho para o poder instituido.

Coisas de AMIGOS, é o que dá.

Nota - Os verdadeiros Amigos aparecem sempre, especialmente nas dificuldades.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

46 - Catur: Duas fotos do (Google)



-Esta foto que descobri no Google, mostra o quartel do Catur, numa data que não sei. Só a coloquei aqui em virtude deste me dizer muito, pois sempre que viajava de Massangulo para Vila Cabral ou na volta, por aqui passava para beber uma cerveja e conversar com alguns Amigos, entre eles o 1º Sargento Miguel, mecânico auto como eu e uma pessoa muito simpática, que nunca me negou uma informação ou esclarecimento de como deveria actuar em determinados momentos.
-Não faço a menor ideia do paradeiro deste Amigo, mas se alguém souber agradeço me informe.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------


-Esta foto tem a particularidade de nos mostrar o que era a estação dos comboios no Catur.
-Foi aqui que embarquei e desembarque várias vezes, na minha missão de acompanhar a minha secção auto tanto em Vila Cabral, como em Massangulo.

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

45 - Massangulo: Viaturas em movimento nas picadas (Parte 1)



-A picada de Massangulo para Mandimba era reparada conforme documenta esta foto.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------


-Aqui nesta foto será uma deslocação desde Massangulo até á cidade de Vila Cabral e pelo número de pessoal e viaturas, não me lembro mas seria reabastecimento.
-Quanto a nomes dos presentes nesta foto, só com a ajuda de algum dos presentes. Fico á espera.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------


-Nesta de igual modo me parece uma coluna com grande força em presença e como não tenho nada escrito á altura, admito que seja quando o pessoal saiu de Massangulo para Nova Coimbra.
-Aqui só me lembro do Alexandrino (Mecânico) que é o segundo da esquerda: ao fundo o Sampaio (?) e de pé está o condutor Domingos Alves Rodrigues (S.Pedro) de Barcelos.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------


-Para o pessoal ir sentado naquele local, só pode ser porque na frente vai o pessoal na picagem e a deslocação é quase a passo.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------


-Nesta foto parece-me que as circunstâncias são iguais á anterior.
-Quanto a nomes apenas reconheço o condutor que é o 1º cabo Barros e sentado de tronco nu e de óculos escuros o mecânico Alexandrino.

44 - Massangulo: Viaturas em movimento nas picadas (Parte 2)



-Foto de pessoal em movimento na picada.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------



-Outra relacionada com  uma coluna onde o pessoal irá numa missão qualquer, sempre acompanhado da mais que amada G3 e cartucheiras com 100 balas,  além de 25 no carregador e uma na camâra.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------



-Não posso afirmar com certeza, mas estas viaturas com pessoal, estão na picada de Massangulo para Mandimba, que era uma picada desmatada em cerca de 50 metros de cada lado, para mais segurança.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------



-Como não me lembro do nome de alguns dos camaradas, não menciono o dos que me lembro, pelo que peço desculpas. Se algum dos que aqui está me quiser identificar os restantes terei muito gosto em mencioná-lo nesta peça. Obrigado.

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

43- Massangulo - Viaturas minadas (Parte 1)

-Recuperação de viatura minada:

-Quando uma viatura era minada, teria que ser resgatada do local e com maior ou menor dificuldade transportada para o quartel e ou para o P.A.D., afim de resolução de abate ou recuperação da mesma.
-Não era uma tarefa fácil, mas com a tarimba que se vai adquirindo com o passar do tempo estas situações acabam por se tornar mais acessíveis. Aqui , com a colaboração do pessoal da "Ferrugem" e de outros Companheiros, lá se fêz a inversão da marcha da viatura e se atrelou á trazeira de uma outra berliet.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------


-Nesta foto, estou num unimog afim de fazer a inversão de marcha da berliet minada.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------


-Nesta foto está-se a preparar  a atrelagem da viatura minada á trazeira da que a irá rebocar.

42- Massangulo - Viaturas minadas (Parte 2)



-Berliet minada na picada de Massangulo para Mandimba.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------


-Outra junto de viatura minada.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------


-Ainda mais outra para recordação.

------------------------------------------------------------------------------------------------------


-E ainda uma parecida.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

41- Massangulo - Viaturas minadas (Parte 3)



-Recuperação de viatura minada na picada de Massangulo para Mandimba.

-Á data de 13/12/1971, tinha a Companhia cerca de um mês de presença em Moçambique.
-Nesta altura estava eu no quartel em Vila Cabral pela primeira vêz afim de ver a realidade do que aqui me tinham deixado relacionado com a carga auto e lembro-me muito bem de ter sido chamado ao Comandante do Batalhão de Vila Cabral Tenente Coronel Jaques, afim de saber a minha opinião de como recuperar não esta, mas sim uma berliet que fora minada perto deste local onde um camarada furriel ficou sem um pé. Apenas disse que não tinha meios, nem pessoal, nem experiência e que só quem podia resolver a situação era precisamente o Comandante, que neste caso foi muito rápido nas decisões.
-Quem manda pode e em pouco mais de uma hora estava a sair do quartel uma coluna impressionante com mais de 50 homens armados convenientemente, mecânicos, pronto socorro, e tudo o que fosse  necessário, sendo a comandar precisamente o Comandante do Batalhão.
-Chegámos ao local já muito depois do almoço (que foi a racção de combate em plena picada) e em pouco mais de duas horas conseguiu-se inverter o sentido da marcha da berliet e atrelá-la ao pronto socorro. Ainda antes de noite estávamos de regresso ao quartel de Massangulo que estaria a uns 20 km ?? . Tudo estava em movimento, e já depois de terem passado algumas viaturas pelo local, há mais um rebentamento de mina desta vez num unimog. Logo mais pessoal ferido que ali foi assistido. Com a noite já presente era urgente chegar ao quartel de Massangulo para evacuar os feridos. Foi o mais rápido possível por aquela picada fora e pouco tempo depois lá estava um avião na pista de terra batida de Massangulo,  iluminada de emergência como hábito com os archotes de gasóleo em latas a arder.
-Naquela noite esta viatura ficou na picada a ser guardado pelos nossos militares e logo cedo na manhâ seguinte fomos recuperá-la.
-Aqui tenho uma estória que jamais irei esquecer. Era muito pouco experiente logo muito "Checa" e quando do rebentamento, toda a gente que seguia nas viaturas foi para o chão. Enquanto se fazia a segurança e envolvimento do local, com rajadas e tomadas de posição, eu fiquei deitado perto dum militar já "batido" que me deu um "bailarico" que fáz favor. Eu usava um relógio da moda na altura de marca Seiko, comprado no navio Niassa, em que se podia ver as horas mesmo no escuro. O tal militar ao lado, diz-me que era perigoso pois ao longe podiam ver a luminosidade e atirarem sobre mim. Resultado e sem alternativa e acreditando nesta hipótese, qual corajoso, há que tirar o relógio do pulso e metê-lo num bolso. Hoje passados todos estes anos penso que foi uma boa brincadeira num momento em as coisas não estavam para brincadeiras. A Velhice é um posto em qualquer lado.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------


-Foto daquele unimog minado.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------


-Outra foto do mesmo unimog minado.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------


-Aqui estão ambas as viaturas minadas na mesma picada e no mesmo dia e quase no mesmo local.
-Tinham sido recuperadas e levadas para o quartel de Massangulo, tendo na altura sido rebocadas para o P.A.D. de Vila Cabral.

--------------------------------------------------------------------------------------------------

COMENTÁRIOS:

António disse...
Pertenci à C CAÇ 2759 e estive no Massangulo em Janeiro de 1971, onde não tivemos quaisquer baixas. Vê também o nosso SITE da C,CAÇ 2759.Operámos, então, no monte Livigire, andámos por Maniamba e Mandimba;habitámos nas casas que pertenceram ao célebre Daniel Roxo, antigo caçador profissional e colaborador dos pisteiros, entre outras coisas.Arnaldo Vasques, ex-Alf. Milic. gradº.- Santarém-965451392. Um abraço de ex-combatente.
Quarta-feira, 19 Maio, 2010

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

40 - Massangulo: Viaturas em movimento a partir daqui.



-Massangulo/Quartel: Preparativos para uma qualquer saída para a picada que em todas as circunstâncias obedecia a rigor de organização.
- Indispensável a presença de um enfermeiro com o seu equipamento de assistência S.O.S.; um radiotelegrafista de igual modo com o seu equipamento; um homem especializado em lançamento de granadas de morteiro devidamente municiado; por vezes um atirador de basuca com as respectivas granadas; um mecânico com ferramenta para o desenrascanço momentâneo de uma avaria e será bom não esquecer um responsável pela deslocação destas viaturas e deste pessoal, que em caso de serem confrontados com a Frelimo era a voz do comando. O mais graduado que se deslocava na coluna auto era quem respondia pela organização e pelo movimento desta.
- Faço lembrar que os especialistas eram indispensáveis e tinham orientação para viajarem sempre na última viatura, porque a haver uma mina na picada ou uma emboscada, os da frente eram os que mais riscos corriam e todos aqueles especialistas eram imprescindíveis para um momento como esse, logo deveriam estar 100% disponíveis para fazerem o seu trabalho técnico, conforme as funções.
-Em determinadas picadas era necessário colocar pessoal a fazer a picagem para as viaturas poderem passar com alguma segurança. Este trabalho na minha opinião pessoal era das mais espinhosas, mas a vida não há só coisas boas e estes homens eram uns heróis.
- Digo que a minha companhia sempre foi muito rigorosa nesta matéria e qualquer saída do quartel era muito preparada, já que o seguro morreu de velho e nós felizmente conseguimos quase a 100% que o pessoal terminásse a comissão sem baixas, com excepção dum camarada furriel de nome Baltazar que numa mina de uma viatura ficou sem um pé. Este acontecimento marcou-nos muito e cuidados redobrados cada vez maiores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------


-Tal como disse acima estes valorosos militares lá iam na sua nobre missão de tentar descobrir uma qualquer mina na picada com o sistema de picar o local por onde as rodas das viaturas passavam e se os terrenos estivéssem macios era de suspeitar a colocação de uma mina.
-Não menciono o nome destes ex.camaradas pois não me lembro do mesmo e não tirei notas na altura.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------


-Outra foto com o pessoal fazendo picagem. Lá mais atráz vem a coluna com as viaturas em movimento.
-Escusado será dizer que as deslocações eram muito demoradas, mas bastante mais seguras e em tudo na vida a segurança nunca fêz mal a ninguém, bem pelo contrário.
-Aqui repete-se não me lembrar o nome destes meus ex.camaradas a quem peço desculpa. Se estes ou qualquer outro que saiba me informe por favor, para eu aqui colocar os mesmos.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------


-Mesmo com grande precaução da nossa parte, o sistema de picagem não era infalível e numa das vezes a berliet acabou por rebentar uma poderosa mina posta na picada, precisamente onde o rodado iria passar.
-Foi aqui que o meu camarada furriel Baltazar ficou gravemente ferido tendo ficado sem um pé na picada Massangulo/Mandimba.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------


-Aqui nesta foto está o cabo enfermeiro Afonso em plena picada a dar assistência nos primeiros socorros ao furriel Baltazar, que saiu gravemente ferido quando do rebentamento da mina na berliet.
- E se o enfermeiro viajásse nesta viatura e ficásse ferido com gravidade quem é que socorria este ou aquele.
-Em relação aos outros militares presentes na foto, mais uma vêz não me lembro do nome.

domingo, 3 de janeiro de 2010

39 - MANDIMBA : Na fonteira com o Malawi onde fui uma vez.



-Quando estava em Massangulo, fui uma vez a Mandimba que era mesmo na fronteira com o Malavi.
-Aqui estou num local onde o pessoal descansava, jogava cartas e bebia umas coisas.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------


-Nesta foto não tenho a certeza se este edifício ficava em Moçambique ou do lado de lá da fronteira com o Malavi. Sei apenas que naquele local havia a fronteira e parece que tirei  a foto no Malavi sendo que no edifício se consegue ler Mandimba. Se algum camarada souber que me informe por favor.

38 - Massangulo: Aniversário de dois homens da "FERRUGEM".



-Na data de 27/02/1972, fizeram anos dois dos meus camaradas da "Ferrugem", o cabo condutor Pita (Infelizmente já falecido) e o soldado Antero também condutor. Estávamos em Massangulo e para festejar a data, convidou-se um grupo de camaradas mais próximos, pois o pessoal da minha secção estava sempre convidado para o bom e o mau. Éramos uma "Família" com rodas para andar e transportávamos todos sem excepção. Nesta foto, pela esquerda está o Pita, eu Louro estou entre este e o Antero e a seguir está o soldado mecânico Rodrigues, o Capitão Barros e ao fundo do lado direito está o alferes Marques Pereira.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

-Aniversários de dois "ferrugentos", Antero e Pita.
-Não faltou uma refeição servida a condizer lá nas instalações da "Ferrugem" regada com cerveja Moçambicana, por sinal muito boa. Nesta foto e pela esquerda, (não sei quem é a meia cara) depois estou eu Louro, e a seguir os aniversariantes Antero e Pita. Com meia cara está o cabo condutor Barros.