DEZEMBRO DE 2016 - BOAS FESTAS -- Que o ano de 2017 nos dê coisas boas.

Ache essas e outras imagens no site ClickGrátis

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

21 - NAMPULA : A caminho de NACALA para visitar o meu Pai, encontro-me com conterrâneo Zé Serrenho



-Na estação do caminho de ferro de Nampula, a caminho de Nacala onde ia visitar o meu pai.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------


-Quando ia ou passava por Nampula, encontrava-me sempre com o meu conterrâneo do Chão da Parada, José Vicente Serrenho que era militar electricista e estava no Batalhão de Manutenção de Material.
- Fiquei algumas vezes no quarto que ele tinha com uns amigos, na cidade.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------


-Em frente ao quarto do meu Amigo Zé Serrenho.
-----------------------------------------------------------------------


-Aqui está uma foto do Hotel Portugal, onde fiquei alojado várias vezes quando ia até Nacala visitar o meu pai, pois fazía-o mais ou menos de três em três meses ou seja o tempo em que o navio "Beira" fazia a viagem até á Europa e regressava ali para descarregar os produtos (Cerca de oito dias).

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------

COMENTÁRIOS:

J.L. Reboleira Alexandre disse...

Meu caro, ainda bem que identificaste o «Zé Polónia» como eu o conhecia. No entanto o visual foi-me de imediato familiar. Devo dizer-te que também me encontrei com ele em Luanda durante a minha estadia, algures em 1975 entre Janeiro e Outubro. Não me lembro como nos organizàmos para que eu soubesse que ele estaria por lá na data precisa. Não imagino quem me mandou a informação, via carta certamente, sobretudo se considerar que os meus pais já não estavam em Portugal nesse ano de 75.
Mas que era muito agradável rever um conterrâneo nessas distantes terras de África, lá isso era.
Mudando de tema, falaste noutro post da tua «amizade» com o Sargento da tua companhia. Tive direito aos mesmos problemas, porque as praias em Luanda eram boas de mais, e já nessa altura era um apaixonado pelo mar, e pela gente feminina que por lá aparece. Não cheguei a estar preso, mas durante umas semanas fiz companhia aos meus subordinados na «lavagem da louça». Afinal coisa que continuei a fazer e ainda hoje faço. Onde quer que o meu ex-1ºSargento Carmo esteja, não lhe desejo mal por aquela denunciazinha, que até podia ter sido evitada. No entanto era um profissional, e compreendo a sua atitude.
Abraço do Canadá
Ze Luis
Quinta-feira, 10 Dezembro, 2009

Sem comentários: